Páginas

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

metade de mim

Nada poderia curar o que senti naquele dia
Era como se tivessem arrancado um pedaço de mim
Era como se aquela dor nunca fosse parar
Algo martelava por dentro
Martelava causando uma dor constante
Agora metade de mim é o que você causou
E a outra metade é o medo
Falou tudo como se calculara para me ferir
Um tiro certo, direto no peito
Nada poderia ter sido pior
Nada do que falasse ou dissesse poderia ter sido pior
Sentia como se cada célula do meu corpo estivesse morrendo
Sentia como se, num segundo, meu coração parasse de bater
Como se tudo o que eu tinha, até aquele momento, desmoronasse
Algumas simples palavras que acabaram comigo
Algumas simples palavras que me deixaram totalmente sem reação
Que me deixaram com enormes feridas que, até hoje, parecem não cicatrizar
Mas isso tudo há de passar e eu hei de viver...
Viver...
Pra te mostrar que nada do que fizer ou disser vai me deixar no chão
Pra te mostrar que eu não fui morta...
Apenas fui ferida !

Um comentário:

  1. adorei o jeito que vc escreve...

    me identifiquei demais com os textos

    to seguindo viri fã.
    segue?

    ResponderExcluir